Waltercio Caldas

Brasil, 1946


Sobre

A busca de Waltercio Caldas é por um olhar modificado pelo espanto do objeto sem nome e sem história. Pelo estado de suspensão em que nos encontramos quando em situações fronteiriças, do espaço “entre”: entre realidade e ilusão, silêncio e matéria, bidimensional e tridimensional, entre palavra e imagem, entre a linha do horizonte e o abismo. O repertório da história da arte é entendido por Caldas como material de trabalho, tanto quanto é o bronze, o aço inoxidável, o ar, os fios de lã ou os campos de cor. A geometria, sendo estruturada por razões matemáticas, é comumente associada à ideia de certeza, no entanto, dentro do trabalho de Caldas, ela parece nos apontar para uma realidade que vai além desse limite: seja nos desenhos sobre papel, quando a linha ou o ponto ganham um corpo e se lançam no espaço para além da superfície, seja nas arestas de seus sólidos geométricos que, ora se apresentando irregulares entre si, ora sugerindo um caminho ainda a ser percorrido até que o volume se complete, nos projetam para outros planos que não se presentificam no traçado. É uma espécie de dúvida do mundo que mobiliza a produção de Waltercio Caldas e que solicita ao observador especulações sobre ele a partir do olhar.

Coleções que possuem seus trabalhos: Museum of Modern Art, Nova York, EUA; National Gallery of Art, Washington, EUA; Fundación Cisneros – Colección Patricia Phelps de Cisneros, Nova York, EUA; Caracas, Venezuela; Blanton Museum of Art, Austin, Texas, EUA; Neue Galerie, Staatliche Museen, Kassel, Alemanha; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Brasil.

Fonte: Galeria Marcelo Guarnieri


Galerias



Exposições