Anita Malfatti

Brasil, 1889


Sobre

A pintora morou de 1910 a 1914 na Alemanha, e frequentou durante um ano a Academia Real Belas Artes de Berlim, onde trabalhou com pintura, desenho e gravura. Partiu para Nova York em 1915 e estudou na Independent School of Arts, de tendência modernista. De volta a São Paulo, em 1917, realizou duas individuais em que apresentou pinturas, desenhos e gravuras que refletiam um aprendizado marcado principalmente pelo expressionismo. Foi criticada por Monteiro Lobato, mas recebeu apoio de jovens modernistas, interessados na renovação da cultura paulistana. Aluna de Pedro Alexandrino, pintor de formação acadêmica, durante o ano de 1919, aos poucos a artista suavizaria a virulência presente nas primeiras obras. Malfatti participou da semana de arte moderna de 19922 e, no ano seguinte, ganhou bolsa do pensionato artístico do estado com a qual parte para Paris, onde conviveu com Brecheret e Di Cavalcanti. Participou do salão revolucionário de 1931, no Rio de Janeiro, e foi uma das fundadoras da sociedade pró-arte moderna (SPAM). A partir de 1937 integrou a família artística paulista. No ano de 1949, o Museu de Arte de São Paulo organizou a primeira retrospectiva de sua obra. Anita Malfatti, heroína do modernismo, procurou deliberadamente uma expressão plástica particular. Influenciada pelo cubismo e pelo expressionismo, libertou-se gradualmente da filiação a qualquer estilo, dedicando-se também ao desenho e à gravura.

Fonte: Dan Galeria


Galerias