Visitas guiadas temáticas circulam a cada meia hora pela SP-Arte/2018

12 abr 2018, 17h

Qual a proposta da galeria David Zwirner para a SP-Arte/2018? Quais artistas latino-americanos a galeria kurimanzutto trouxe para o Festival? Para responder questões como estas, basta participar das visitas guiadas e se aprofundar no conteúdo infindável apresentado no Pavilhão.

Gratuitas e abertas ao público, as visitas saem a cada meia hora do balcão na entrada na feira. Quem chega ali, deve apenas inscrever seu nome e pegar os fones, e logo embarca para o roteiro que mais interessar. Entre eles, está a visita “Arte contemporânea internacional”, uma das primeiras a sair no Preview da14ª edição do Festival.



O grupo de dez pessoas passeou pelas galerias internacionais mais destacadas do mundo: neugerriemschneider, David Zwirner, kurimanzutto e White Cube. Guiados pela curadora independente, editora e pesquisadora Isabella Lenzi, os visitantes puderam discutir sobre trabalhos emblemáticos apresentados nos estandes e assinados por artistas reconhecidos como Ai Weiwei, Richard Serra, Tracey Emin, Josef Albers, Gabriel Orozco e Damien Hirst. Ela criou, ainda, um paralelo entre estes artistas com a produção nacional.

A ideia das visitas é que o Festival intensifique cada vez mais seu papel cultural: entre as cerca de 2000 obras que ocupam o Pavilhão, algumas são escolhidas para discussão mais aprofundada com os visitantes. Quem preferir pode, ainda, escolher roteiros focados em artistas brasileiros das décadas 70, 80, 90 e anos 2000, artistas mulheres, trabalhos do modernismo e concretismo e os setores Solo e Repertório.

Também integram o time de monitores a performer e pesquisadora Ana Beatriz Soares de Almeida; Guilherme Albani, estudante de crítica e curadoria; e o educador Luis Cambuzano, que já trabalhou em museus como MAM e IMS.

Confira os horários e temas dos roteiros e planeje a sua visita!

 

# respirearte

#sparte2018