SP-Arte 2019 leva esculturas para fora do Pavilhão em estreia de setor curado

22 fev 2019, 14h27

Em meio às celebrações de quinze anos de trajetória, a SP-Arte anuncia a estreia de um setor curado inédito na próxima edição da Feira, que acontece de 3 a 7 de abril no Pavilhão da Bienal. O setor OpenSpace rompe com o formato clássico dos estandes e leva trabalhos de arte para o lado de fora do Pavilhão, no Parque Ibirapuera.

Com curadoria de Cauê Alves, diretor do MuBE (Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia), o setor funciona tal como um parque de obras de arte, convidando os visitantes do Festival a transitar pelo exterior do prédio de Oscar Niemeyer. Na Praça das Bandeiras, uma das principais entradas para o Pavilhão, outros trabalhos fazem a conexão entre o que está do lado de fora e todo o universo de obras no interior do Feira.

Obras de importantes artistas nacionais e estrangeiros compõem um recorte diversificado, atravessando períodos, materiais e discussões em torno da escultura e instalação. “Selecionamos desde um trabalho histórico de Hélio Oiticica, que nos anos 70 trabalhava a ideia de espaço e ambiente na arte com seus ‘penetráveis’, até uma escultura inédita do argentino Eduardo Navarro, hoje uma das principais figuras no campo da escultura” conta o curador do setor, Cauê Alves.

“Além de promover um diálogo importante entre o evento e o entorno vivo do Pavilhão, a estreia deste novo setor reforça nossa busca por diversificar a programação da SP-Arte, que se tornou um ponto de encontro fundamental entre os diversos agentes que participam do circuito das artes em abril” afirma Fernanda Feitosa, diretora da SP-Arte.

 

#sparte2019

#respirearte