"SDDS 3404" (2018), Marlos Bakker
Vídeo feito a partir de arquivos compartilhados por whatsapp (© Marlos Bakker)

SDDS 3404 (Portuguese)

Bakker realizou um desdobramento do trabalho para a — entretraço —, seção na qual um artista intervém na revista traço—

19 ago 2019, 11h28

A partir de um grupo de Whatsapp de spotters – pessoas aficionadas por fotografia e aviação –, o artista Marlos Bakker passou a conviver diariamente com um mundo até então desconhecido para ele. Começou a frequentar encontros para fotografar aviões em aeroportos e, por vezes, nas próprias casas dos amigos que fez (evento conhecido como home-spotting), normalmente em bairros ou comunidades carentes próximas às cabeceiras das pistas.

Após quase dois anos de convívio, Bakker transferiu todo o conteúdo espontaneamente compartilhado no grupo (mensagens de texto, de áudio, fotos e vídeos) para o seu computador e se utilizou da edição, momento privilegiado da análise e interpretação dos fatos, para montar o vídeo “SDDS 3404″, onde os próprios personagens narram a paixão que têm pelo hobby, além das dificuldades que encontram pelo caminho sem que, em nenhum momento, tenham sido questionados sobre o assunto.

O título da obra se refere ao curioso fato de que, ao jogar as quase 170 mil mensagens de texto do chat num contador de palavras, a que mais se repetiu foi SDDS: abreviação para “saudades”. Ela foi escrita 3404 vezes em quinze meses.

O trabalho integrou a mostra “Paisagens construídas” (2018), no Museu Oscar Niemeyer (MON), foi selecionado para o Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo (2018) e recebeu o Prêmio de Aquisição do 14º Salão de Artes Nacional de Itajaí (2018). “Bakker descobriu nas redes sociais uma imensa comunidade que cultua não o céu, mas os aviões”, escreve o curador Agnaldo Farias.

Convidado para participar da — entretraço —, seção na qual um artista intervém na revista traço— (publicação periódica da SP-Arte), Bakker realizou um desdobramento de seu “SDDS 3404″, com a colaboração fotográfica de quatro spotters, Camila (@camilacouto_spotter), Jeff (@spotterinjpa), Jorgim (@aeroportodemontesclaros) e Zeca (@zecaonascimento). Bakker faz uma transcrição das 3404 frases nas quais a sigla SDDS apareceu ao longo de quinze meses, remetendo ao título de seu documentário. A partir dessas palavras, apresentadas em uma massa corrida e cujo único contexto é o sentimento claro de companheirismo e identificação entre os enunciadores, o artista consegue criar novas imagens. O desenho ampliado das frases, mesclado com as fotos de avião em dimensão reduzida, criam um raio-X do universo secreto que existe por trás das fotografias compartilhadas nas redes.

Confira acima o vídeo “SDDS 3404″, e não deixe de pegar gratuitamente sua revista traço— na 13ª edição da SP-Foto e em pontos de distribuição.

Perfil SP‑Arte

Assine e fique por dentro dos principais acontecimentos do mundo da arte