Novo casarão do Paço das Artes (Foto: Joca Duarte / Divulgação)
Inauguração

Paço das Artes ganha sede definitiva

Giovana Christ
23 jan 2020, 14h20

Juntamente com a abertura, será inaugurada a exposição “Limiares”, da artista Regina Silveira, com obras inéditas produzidas especialmente para dialogar com a arquitetura da nova sede. A artista acumula uma longa história com a instituição e terá retrospectiva no MAC-USP, em agosto, como parte da programação da 34ª Bienal de São Paulo. A mostra de Silveira é curada por Priscila Arantes, diretora do espaço há treze anos, e fica em cartaz até 10 de maio.

O Paço das Artes será o primeiro a ter um acervo de arte contemporânea exclusivamente digital, chamado Mapa, em que é possível ver detalhes sobre os artistas e as obras que compõem a coleção. Nos planos da instituição, também está previsto o retorno das residências artísticas neste ano, com convidados internacionais –, e de programações como Paço Comunidade e o Seminário Internacional, espaços de debate e mesa-redonda sobre temas pertinentes à arte contemporânea.

Acima: Novo casarão do Paço das Artes (Foto: Joca Duarte / Divulgação)

"Dobra (banco de jardim)" (2019), Regina Silveira (Foto: Paço das Artes / Divulgação)
"Cascata" (2020), Regina Silveira (Foto: Paço das Artes / Divulgação)

"Dobra (banco de jardim)" (2019), Regina Silveira (Foto: Paço das Artes / Divulgação)

"Cascata" (2020), Regina Silveira (Foto: Paço das Artes / Divulgação)

No dia 25 de janeiro, aniversário de São Paulo, será inaugurada a sede definitiva do Paço das Artes. Após o fechamento da sede temporária, na Cidade Universitária, em 2016, a instituição ficou alocada no prédio do Museu da Imagem e do Som (MIS). Agora, terá endereço fixo no bairro de Higienópolis, no antigo casarão Nhonhô Magalhães.

Além do aniversário da cidade, a inauguração do espaço comemora os cinquenta anos da instituição, que já passou por outros imóveis da capital paulistana. O prédio tombado foi encomendado em 1927 para abrigar um dos maiores cafeicultores do Estado de São Paulo. Para sediar o Paço das Artes, o casarão inspirado nos palacetes franceses, foi reformado pelo arquiteto Álvaro Razuk.


Giovana Christ é estudante de jornalismo (ECA–USP), entusiasta do carnaval brasileiro e apaixonada por todos os tipos de manifestações culturais. Faz parte da equipe editorial da SP-Arte.

Perfil SP‑Arte

Assine e fique por dentro dos principais acontecimentos do mundo da arte