Na semana SP-Arte, exposição coletiva no Galpão VB integra a programação do Festival

02.03.2017 – 12:16 pm

A SP-Arte e a Associação Cultural Videobrasil apresentam, a partir de 06 de abril (quinta-feira) no Galpão VB, a exposição coletiva Nada levarei quando morrer, aqueles que me devem cobrarei no inferno. Realizada em parceria entre as duas instituições, a mostra integra a programação da SP-Arte/2017.

O ponto de partida para a seleção de trabalhos é o pensamento do cineasta Pier Paolo Pasolini. Perspicaz observador da cultura de seu tempo, o italiano buscou articular uma crítica às transformações sociais em seu país e um registro de práticas culturais que, segundo ele, estariam desaparecendo.

Em O Evangelho Segundo São Mateus (1964), por exemplo, Pasolini filma com não atores, vários deles camponeses do sul da Itália, realizando uma espécie de homenagem ao catolicismo popular e um registro daqueles trabalhadores. “São imagens de corpos e práticas culturais dissidentes em relação às então novas formas hegemônicas que se impunham à heterogeneidade das culturas italianas”, coloca Gabriel Bogossian, que assina a curadoria da exposição ao lado de Solange Farkas.

Nada levarei quando morrer, aqueles que me devem cobrarei no inferno transporta esse pensamento para o contexto brasileiro, em que populações urbanas e povos indígenas seguem sob ameaça – seja de projetos de reforma urbanística não inclusivos, seja por empreendimentos que inviabilizam modos de vida tradicionais. Nesse universo, obras de Caetano Dias, Miguel Rio Branco e Virgínia de Medeiros, por um lado; e de Claudia Andujar, Gisela Motta e Leandro Lima, Rodrigo Bueno, Rodrigo Braga e Runo Lagomarsino, por outro, aproximam-se na abordagem do transe – espiritual, emocional ou erótico –, do sexo e da morte, a partir de uma perspectiva crítica.

O projeto SP-Arte no Galpão VB fica em cartaz até 17 de junho, com entrada gratuita. O endereço é Avenida Imperatriz Leopoldina, 1.150, Vila Leopoldina. Confira informações adicionais no site do espaço.