Educativo
2022


A 18ª SP–Arte disponibiliza, no Spotify e por meio de QR codes posicionados na Feira, roteiros sobre história e temas urgentes da arte e do design. Os audioguias desta edição são escritos e narrados pelos pesquisadores Camila Bechelany, Frederico Coelho, Luciara Ribeiro, Winnie Bastian, Ana Carolina Ralston e Felipe Molitor.

Além disso, as curadoras Lisette Lagnado e Mirtes Marins organizaram a 5ª edição do programa Cápsulas, apresentada pela Galeria Jaqueline Martins em parceria com a SP–Arte. Sob o título de “Bases para uma educação antirracista”, para a Cápsula 5, foram convidadas Luciana Alves, pedagoga e ativista do movimento negro, e Keyna Eleison, curadora e diretora artística do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Confira abaixo os temas e acesse os áudios e vídeos:


O Pavilhão da Bienal, arquitetura modernista para uma arte nova

Neste episódio, Camila Bechelany, historiadora da arte, crítica e curadora, apresenta a história do Pavilhão Ciccillo Matarazzo, conhecido como Pavilhão da Bienal, edifício emblemático da arquitetura modernista brasileira que recebe a SP–Arte desde a nossa primeira edição.


O construtivismo e o contra construtivismo

Neste audioguia, Camila Bechelany comenta as nuances, experimentações e avanços tecnológicos que marcaram a segunda fase do modernismo brasileiro, apresentando alguns artistas e como se relacionaram aos movimentos que dela decorreram: Judith Lauand, Antonio Bandeira e Raymundo Colares.


Anos 1980–2000: A transição para o contemporâneo

Frederico Coelho é pesquisador, ensaísta e professor de Literatura Brasileira e Artes Cênicas da PUC-Rio. Foi assistente de curadoria do MAM-RJ entre 2009 e 2011. Do final da ditadura militar à recuperação da estabilidade da moeda nacional, e da renovação da Fundação Bienal de São Paulo à criação de coletivos independentes, ele comenta a transição – da década de 1980 aos anos 2000 – que levou a arte brasileira ao contemporâneo.


Um novo século para a arte brasileira

Neste audioguia, o pesquisador Frederico Coelho explica como o século XXI é “um novo século para a arte brasileira”, e como até mesmo os estudos das artes desse período exigem uma mudança de paradigma – mudança essa que marca a virada do século e a produção da geração atual.


Torções, tensões e afincamentos

Luciara Ribeiro é educadora, pesquisadora e curadora. Mestra em história da arte pela Universidade Federal de São Paulo e pela Universidade de Salamanca. Aqui, ela coloca em xeque o dito “É preciso ver para crer”, apresentando obras que se ajustam ao que ela chama de “campo das forças invisíveis”, aquelas que tensionam pensamentos, corpos e energias.


Colonialidade e vias de segurar a queda do céu

 

Neste audioguia, Luciara Ribeiro apresenta a questão: como pensar o futuro? Para isso, nos conta sobre a obra de alguns artistas que produzem obras fundamentadas na noção de que o futuro corre nas mesmas vias do passado.


Design contemporâneo: matéria e processo como chaves de leitura

Neste audioguia, Winnie Bastian, jornalista especializada em design, apresenta e reflete sobre obras de design, partindo de matérias e processos como chaves de leitura. De obras ecofriendly a outras que subvertem técnicas tradicionais, Bastian propõe um circuito pela 18ª SP–Arte, que retorna ao Pavilhão da Bienal com mais de 30 galerias de design.


O Brasil e a madeira: unidade na diversidade

Com este audioguia, Winnie Bastian apresenta alguns dos móveis e obras apresentadas pelas galerias de design que expõem na 18ª SP–Arte. Neste roteiro, o fio condutor é a madeira, que ela aponta como uma “unidade na diversidade”.


Pequenos atos da hora grande

Felipe Molitor é jornalista e crítico, curador de “Hora Grande”, exposição que inaugura o setor Radar SP–Arte em 2022. Neste audioguia, ele explica os “Pequenos atos da Hora Grande”, apresentando o trabalho de cada artista que participa da exposição e as sutilezas e eixos que norteiam a curadoria.


Arte Natureza: Ressignificar para viver

A curadora Ana Carolina Ralston comenta as relações entre arte e natureza e nossa forma de existir no mundo no audioguia homônimo à sua exposição “Arte Natureza: Ressignificar para viver”, em cartaz na 18ª SP–Arte.


Cápsula 5 – Encontro I

Bases para uma educação antirracista com Luciana Alves

As curadoras Lisette Lagnado e Mirtes Marins organizaram a 5ª edição do programa Cápsulas, apresentada pela Galeria Jaqueline Martins em parceria com a SP–Arte. Sob o título de “Bases para uma educação antirracista”, para a Cápsula 5, foram convidadas Luciana Alves, pedagoga e ativista do movimento negro, e Keyna Eleison, curadora e diretora artística do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Neste primeiro encontro, Luciana Alves apresenta suas reflexões em torno de três eixos: as dinâmicas entre branquitude e negritude, raças e sistemas de poder.

 


Cápsula 5 – Encontro II
Bases para uma educação antirracista com Keyna Eleison

Neste segundo encontro, Keyna Eleison discute espaços de socialização, analisando a recepção de públicos de exposições.