Última edição da SP-Arte ganha ampla cobertura da imprensa estrangeira

21.05.2018 – 11h02

Realizada entre os dias 11 e 15 de abril, a 14ª edição da SP-Arte, mais uma vez, colocou São Paulo em destaque no mundo das artes e atraiu a atenção da imprensa internacional. Seja em jornais tradicionais, sites especializados ou em perfis de influenciadores digitais, nunca se falou tanto sobre o Festival. O contexto sócio-político do Brasil inspirou a análise de alguns jornalistas, mas foi a intensa programação e o alto nível dos artistas e obras dentre os mais de 160 expositores o tema principal das menções.

Até agora a edição de 2018 da SP-Arte teve 72 inserções em jornais, revistas e sites de países como EUA, Reino Unido, Alemanha, França, Portugal, Itália, Bélgica, Suíça, México, Chile, Hong Kong e Bahrein. Jornais impressos renomados como Financial Times, Le Monde, Observer e The Art Newspaper, além de sites como Artsy, Artnet e Frieze dispensaram especial atenção à SP-Arte/2018.

“A cada ano reforçamos nossa importância na agenda de galeristas e colecionadores estrangeiros, que já conhecem o potencial de crescimento e renovação de público, além da pluralidade do que é exposto aqui. O interesse da imprensa segue o mesmo caminho. Todo ano trazemos jornalistas especializados a São Paulo. Eles conhecem o evento e ajudam a divulga-lo em seus países. Na última edição 18 jornalistas dos EUA e Europa vieram a nosso convite”, conta Fernanda Feitosa, fundadora e diretora da SP-Arte. Durante a estadia é promovida uma agenda destacada que garante uma imersão na arte, arquitetura e design brasileiros e eles têm a oportunidade de também visitar galerias, museus, coleções particulares e estúdios.



As novidades no setor Design estiveram no radar da imprensa. O Le Monde destacou a mistura criativa entre arquitetos e designers no Brasil. Além disso, o jornal mencionou os novos designers em exposição na Feira. Designers independentes também ganharam repercussão na britânica Dezeen, especializada no setor.

O jornal Observer, dos EUA, incluiu São Paulo entre as cinco cidades mais vibrantes do mundo no cenário artístico atual, ao lado de Viena, Nashville, Acra e Pequim. A reportagem menciona a SP-Arte como uma das responsáveis pelo vigoroso crescimento do mercado de arte na cidade. O Artnet mencionou que mesmo diante de um turbulento momento político o mercado de arte vivia um bom momento de vendas durante a Feira.

Além dos jornalistas de publicações respeitadas da imprensa em geral ou do mundo das artes visuais, a digital influencer Jiajia Fei, habitueé do circuito nova-iorquino, esteve na lista de convidados da SP-Arte. Jiajia, que é colaboradora do Jewish Museum e trabalhou por anos no Guggenheim, fez uma cobertura completa do Festival no seu perfil do Instagram. Os diferentes perfis e plataformas onde a SP-Arte foi mencionada reforçam o caráter plural e inclusivo do Festival que dialoga com o tradicional e se renova através dos novos públicos.

#respirearte