Mostra na FASS apresenta daguerreótipos de Francisco Moreira da Costa

16 nov 2015, 17h54

A partir deste sábado (21), a FASS apresenta a exposição “A Placa Mágica”, que destaca a recente produção de daguerreótipos de Francisco Moreira da Costa.

Esta é a primeira individual em São Paulo do artista, único brasileiro com dedicação sistemática à daguerreotipia, processo fundador da fotografia e que tem origem na França do século 19.

A técnica surpreendeu o mundo por sua capacidade de reproduzir a realidade, com uma definição que nunca foi superada. Além disso, confere à fotografia o status de joia, pois a imagem é formada sobre a prata e, muitas vezes, tratada com uma viragem em ouro. Cada exemplar é um original único.

Durante as décadas de 1840 e 1850, milhões de placas foram feitas no mundo, principalmente retratos. Com a evolução tecnológica no século 20 e processos de menor custo, os daguerreótipos se tornaram raridades.

Moreira da Costa corta suas próprias placas de cobre, que medem 11 x 9 cm ou a metade, 5,5 x 4,5 cm. Ele retrata objetos da cultura popular, como estatuetas de São Jorge ou de Iemanjá, além de objetos como candeeiros e cestas de vime. A figura humana aparece numa imagem em que o corpo de uma mulher se encontra coberto por uma enorme folha de taioba.

“A Placa Mágica” fica em cartaz até 30 de janeiro na FASS: Rua Rodésia, 26, Vila Madalena. Mais informações no site do espaço.