Galeria Paralelo exibe recorte da produção de Luiz Martins

11 jun 2015, 20h19

A Galeria Paralelo exibe a partir da próxima quarta-feira (17) “Como é a pintura, a poesia é”, do artista visual Luiz Martins, com curadoria de Roberto Bertani.

A mostra é composta por cinco desenhos, três esculturas e seis objetos em técnica mista, que evidenciam sua pesquisa sobre a comunicação humana e as representações da linguagem escrita através de signos e símbolos usados desde os nossos ancestrais até os dias atuais.

O trabalho se manifesta na apropriação de matérias orgânicas, aproximando-as de suportes impressos. Sua pesquisa morfológica abrange das pinturas rupestres aos alfabetos ideogramáticos, observando também os ícones indígenas e símbolos que variam entre figuras do cotidiano e entidades e forças místicas.

Neste contexto, Luiz Martins utiliza a escrita como insumo e, por meio da impressão gráfica, garante um novo relevo em sua obra, transformando elementos naturais em arte carregada de poesia.

Em busca da ressignificação da linguagem escrita, o artista utiliza, em alguns trabalhos, páginas do dicionário e da Bíblia como suportes, nos quais manuseia a forma da figura ali criada, como se apagasse a linguagem e a substituísse por arte.

“Como é a pintura, a poesia é” fica em cartaz até 31 de julho de 2015, e a Galeria Paralelo está na Rua Artur de Azevedo, 986, Pinheiros. Saiba mais detalhes no site do espaço.