Galeria Leme inaugura coletiva que reflete sobre memória e história

14 jan 2016, 10h44

A partir da próxima terça-feira (19), a Galeria Leme apresenta a coletiva “Totemonumento”, com curadoria de Isabella Rjeille.

A exposição toma seu título emprestado de um controverso trabalho de Cildo Meireles realizado no contexto da ditadura militar brasileira em 1970.

O nome carrega também a temática abordada: os trabalhos se debruçam sobre a ideia de memória e história: seus usos, construções narrativas, jogos de poder e representações. Lança-se, assim, um olhar ao passado a partir do presente.

Entre os artistas participantes, estão Cildo Meireles, Clara Ianni, Erica Ferrari, Frederico Filippi, Jaime Lauriano, Raphael Escobar, Regina Parra e José Carlos Martinat.

 

Terceira edição do SITU

Na mesma ocasião, o espaço traz o terceiro site-specific do projeto SITU, curado por Bruno de Almeida, que busca pensar o espaço urbano através de diálogo entre arte, arquitetura e cidade.

Desta vez, o artista venezuelano Ricardo Alcaide é quem apresenta uma obra que se relaciona com o edifício da galeria e com o espaço público. Ele projeta um grande volume geométrico negro que ocupa quase todo o pátio externo da galeria.

 

Serviço

A coletiva “Totemonumento” fica em cartaz até 05 de março, enquanto o SITU #3 permanece até o dia 15 do mesmo mês. O endereço da Galeria Leme é Avenida Valdemar Ferreira, 130. Saiba mais no site do espaço.