Galeria de Babel destaca olhar de Dimitri Lee para cidades-fantasma no deserto do Atacama

15 fev 2015, 17h43

A Galeria de Babel recebe a exposição “Salitreiras”, de Dimitri Lee, até o fim do mês de março. O fotógrafo exibe 16 trabalhos produzidos nas cidades salitreiras, espalhadas pelo deserto na região norte do Chile – redutos industriais que tiveram seu auge na primeira metade do século XX e que são agora cidades-fantasma.

Em uma viagem ao deserto do Atacama para testar uma nova máquina panorâmica, Lee tomou conhecimento sobre essas localidades e decidiu averiguá-las. Encantado pelo que encontrou e intrigado pela falta de registros fotográficos da região, deu início a uma série de viagens munido de uma câmera 8 x 10 polegadas.

Entre 2005 e 2011, o fotógrafo fez diversas incursões pela região. A opção – por gosto pessoal – pela máquina 8 x 10 tornou o processo mais lento do que o digital, já que cada clique envolve custos maiores.

As fotografias foram impressas no MR Estúdio Digital em jato de tinta piezográfica sobre papel de algodão. O estúdio é um dos pouquíssimos proprietários no mundo de uma impressora de 160 cm para tinta piezográfica, à base de carvão – apenas pigmento, sem corante. Essa técnica confere às impressões maior riqueza de tons de cinza e mais durabilidade.

A mostra “Salitreiras” fica em cartaz na Galeria de Babel  até o dia 28 de março. Para mais informações, visite o site do espaço.