Galeria Almeida e Dale exibe obras raras de Willys de Castro

18 mar 2015, 20h17

A Galeria Almeida e Dale abre na quinta-feira (26) a exposição “Willys de Castro – Múltipla Síntese”. Com curadoria de Denise Mattar, a mostra reúne 35 obras de diferentes fases do artista.

Mais conhecido por seu trabalho em artes plásticas, trabalhou também com música, poesia, design, cenografia e figurino. A exposição pincela a multiplicidade do artista e reúne algumas obras raras, realizadas entre 1949 e 1952, nas quais a figuração se entrelaça em superposições de cores e geometria. Apresenta ainda um conjunto de trabalhos realizados entre 1956 e 1958, nos quais o artista, em pleno envolvimento com o Concretismo, apresenta estruturas rigorosas, cores puras, planos ortogonais, efeitos e proximidade com o design gráfico.

Entre os “Objetos Ativos” – série reconhecida pela crítica internacional – apresentados na mostra, está a obra pertencente ao acervo do MASP – Museu de Arte de São Paulo, que, datada de 1959, é um dos mais impactantes trabalhos desse período.

Willys de Castro – Múltipla Síntese exibe também outras produções, como um cartaz-poema da década de 1960, estudos preparatórios, e a música “Policromos”, composta em 1951. Completam a exposição os “Pluriobjetos”, que o artista realizou em metal nas décadas de 1970 e 1980 e que ampliaram as experiências propostas pelos “Objetos ativos”.

“Múltipla Síntese” fica em cartaz até 30 de abril, e a Almeida e Dale está na Rua Caconde, 152. Para mais informações, acesse o site da galeria.