O que ler e assistir antes das exposições de Sebastião Salgado

18 jul 2019, 12h50

Na década de 1980, Sebastião Salgado passou anos registrando aquele que foi considerado o maior sítio de garimpo a céu aberto do mundo – a Serra Pelada, na Amazônia Paraense. O resultado foi uma série de mais de cinquenta imagens que fez história no mundo, construindo um panorama que retrata a narrativa pessoal e coletiva de aventurança daqueles que largaram tudo para arriscar a sorte na descoberta do ouro. “Quando cheguei à beira desse buraco imenso” diz Salgado sobre a experiência “vi passar diante de mim, em uma fracção de segundo, a história da humanidade”.

Agora, quase quarenta anos depois, a séria ganha duas exposições na cidade de São Paulo: “Gold”, no Sesc Avenida Paulista (abertura 17 de julho, visitação gratuita), onde são exibidas fotos conhecidas e inéditas, e “Gold – Mina de ouro Serra Pelada”, na Galeria Mario Cohen (abertura 19 de julho, visitação gratuita), onde é apresentada uma seleção das imagens em impressões de tamanhos diferenciados. As exposições são complementadas pelo lançamento do livro “Sebastião Salgado – Gold”, pela editora Taschen, que traz o portfólio completo dos registros de Salgado em Serra Pelada.

Para entrar no ritmo Sebastião Salgado, fizemos uma lista de filmes e obras que ajudam a conhecer ainda mais o trabalho do artista.



O sal da Terra (2014)

Indicado ao Oscar de melhor documentário em 2015, “O sal da Terra” é um testamento à força de Salgado, não apenas de seus trabalhos fotográficos como também da intenção humanitárias por trás deles. O documentário é uma parceria entre seu filho mais velho, Juliano Ribeiro, e o renomado diretor alemão Wim Wenders.



De minha Terra à Terra (2013)

A biografia de Sebastião Salgado foi lançada em 2013, e conta a trajetória do homem que dedicou sua vida profissional a registrar a dignidade daqueles que enfrentam situações extremas, como a pobreza, os fluxos migratórios ou secas violentas. Publicado originalmente em francês, o livro foca nas políticas e militâncias do fotógrafo.



Coleção Photo Poche – Vol. 5 (2011)

A renomada coleção de livros sobre fotografia, a Photo Poche, chegou ao Brasil pela extinta editora Cosac Naify em 2011, e atualmente é republicada pelo Instituto Moreira Salles. Criada em 1982 em Paris, foi publicada pelo Centre Nationale de la Phtographie com o intuito de difundir a fotografia como expressão artística. Sebastião Salgado foi o primeiro fotógrafo brasileiro a integrar a coleção. Seu livro conta com texto crítico de Christian Caujolle.



Genesi (2013)

Foram oito anos rodando o mundo em mais de 32 viagens para registrar a natureza em seu estado mais puro: a editora Taschen apresenta a publicação “Genesi”, que abarca a série homônima de Salgado, um de seus trabalhos de maior renome mundial. São mais de 500 páginas recheadas das características imagens em preto e branco de Salgado, apresentando um emocionante tributo à natureza de nosso planeta, abarcando rios, comunidades florestais, icebergs, a selva amazônica, e muito mais.