Analívia Cordeiro é vencedora de prêmio de arte eletrônica na ARCOmadrid

4 mar 2015, 21h48

“M3X3”, a primeira obra de videoarte do Brasil (datada de 1973), concebida e interpretada por Analívia Cordeiro – filha de Waldemar Cordeiro, artista de referência da pintura concreta brasileira – foi a grande vencedora do prêmio ARCOmadrid Beep de Arte Electrónico, que reconhece os melhores trabalhos nessa área.

A obra, representativa tanto dos primeiros avanços de programação tecnológico-artística como da evolução da performance e da dança moderna, foi a contemplada na décima edição do prêmio-aquisição do evento espanhol.

Duas grandes projeções em uma esquina do stand da galeria Anita Beckers materializam a dança hipnótica de um grupo de bailarinas, cujos movimentos parecem saídos de um programa de computador de última geração. “É um trabalho entre a liberdade e as regras”, declarou Analívia em entrevista ao jornal El País (leia, em espanhol, clicando aqui).

A galeria alemã tomou conhecimento do trabalho da artista multimídia no Brasil, por ocasião de suas duas participações na SP-Arte, em 2012 e 2013.