30 artistas abrem seus ateliês ao público durante esta edição da SP-Arte/2018

4 abr 2018, 17h07

Curiosidades não faltam quando pensamos em onde e como os artistas produzem suas obras de arte. Seus ateliês são verdadeiros templos de criação, com materiais sempre à mão e referências a perder de vista. Individuais ou coletivos, eles refletem a personalidade de quem ali cria – podem ser muito organizados ou extremamente bagunçados. Durante a SP-Arte/2018, seis ateliês se abrem ao público para que você possa sanar curiosidades e bater um papo com os cerca de 30 artistas que produzem nesses espaços.

Na programação, estão previstas as visitas a dois ateliês individuais, dos artistas Paulo von Poser e Arnaldo de Melo, na manhã de sábado, dia 14 de abril. À noite, um grupo de estúdios da Vila Madalena (Fidalga,Vão, Fonte e Hermes Artes Visuais) participam de um circuito dedicado a isso, que acontece das 17h às 21h. Confira a programação completa abaixo e planeje seu trajeto:


Projeto Fidalga

Localizado na Vila Madalena, o espaço reúne locais de trabalho de cinco artistas: Ding Musa, Felipe Cama, Leka Mendes, Luis Telles, Otavio Zani e Misha Bies Golas. Como todo ateliê coletivo, a ideia do local inaugurado em 2012 é que seus artistas produzam em parceria e troquem figurinhas. Durante a SP-Arte/2018, o espaço recebe a coletiva “Desde o apego: Memória e gesto”. 

R. Fidalga, 299
14/04, das 17h às 21h


Vão – Espaço Independente de Arte

Oito artistas dividem o espaço da Vila Madalena a poucos passos do Projeto Fidalga. Ivan Padovani, Maria Fernanda Lopes, Maria Luiza Mazzetto, Ricardo Barcellos, Silvia Jabali, Susi Miranda Azis, Thais Stoklos e Walter Costa ocupam diferentes ambientes na casa térrea e, por vezes, apresentam exposições na sala de entrada do local – como a coletiva “O vão, o trem e a plataforma”, em cartaz a partir de 9 de abril.

R. Mourato Coelho, 787
14/4, das 17h às 21h

.


Fonte

Na mesma rua do Vão, o Fonte guarda os ateliês dos artistas e diretores Marcelo Amorim, Nino Cais e Simone Morais. Nomes como Charlotte Marchand, Eduardo Araújo Silva, Adriano Franchini, Dani Spadotto, Flora Leite, Manuela Costalima e Rafael Santacosta também estão por lá. Desde 2013, o ateliê também recebe artistas residentes que passam temporadas entre os integrantes do espaço. Nesta temporada, o local abriga a exposição coletiva “Lava!”. 

R. Mourato Coelho, 751, 2o andar
14/04, das 17h às 21h

 


Hermes Artes Visuais

A charmosa casa da Vila Madalena é estação de trabalho da artista Carla Chaim, que inaugura a mostra “A pequena morte”, no dia 9 de abril, na Galeria Raquel Arnaud (R. Fidalga, 125). Julia Kater, que ganha a individual “Zonas de gatilho”, na SIM Galeria (R. Sarandi, 113), a partir do dia 7 de abril, também trabalha no local. Outros nomes que abrem seus ateliês aos visitantes são Brisa Noronha, Luisa Callegari e Raylander Mártis.

R. Hermes Fontes, 167
14/04, das 17h às 21h


Ateliê de Arnaldo de Melo

Participante do setor Repertório na SP-Arte/2018, o artista representado pela Sé Galeria (R. Roberto Simonsen, 108) abre as portas do seu ateliê para o público no sábado, das 10h às 16h. O ponto de encontro será na galeria, próxima ao estúdio.

Ponto de encontro: R. Roberto Simonsen, 108
14/04, das 10h


Ateliê de Paulo von Poser

Paulo von Poser preferiu levar seu local de trabalho para um local silencioso e longe da correria urbana. Seu ateliê, à beira da Represa de Guarapiranga (na zona sul de São Paulo), tem jardins e redes e é nesses ambientes que o artista recebe os visitantes da SP-Arte/2018 para um brunch. O ponto de encontro será no Pavilhão da Bienal, às 10h, de onde o grupo será levado em uma van ao local. Às 14h, Paulo acompanha o grupo na viagem de volta ao Ibirapuera. Inscreva-se para a programação pelo e-mail contato@vervegaleria.com.

Ponto de encontro: Pavilhão da Bienal
14/04, às 10h

 

# respirearte