'19.924.458 +/-': Christian Boltanski cria instalação para São Paulo

11 abr 2014, 0h25

O artista francês Christian Boltanski, referência da arte contemporânea, e um dos nomes representados pela galeria Marian Goodman, que participou da SP-Arte/2014, estreou nesta semana uma mostra em São Paulo. A exposição batizada “19.924.458 +/-“ segue em cartaz até 29 de junho no Sesc Pompeia.

Na instalação de Boltanski, desenvolvida especialmente para a metrópole paulista, 950 torres feitas de papelão e listas telefônicas traduzem a cidade e, é claro, a sua população.

O trabalho retrata a vida e a morte na cidade. Um flash de luz a cada dois minutos e quarenta segundos mostra o nascimento de um cidadão paulistano. Já o apagão, que ocorre a cada seis minutos, indica a morte de uma pessoa.

A obra também serve de base para a projeção de depoimentos de imigrantes que acontece nas 25 torres do projeto de Boltanski. Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, o artista francês afirma que não tentou reproduzir a cidade, mas criou um retrato do que considera a “fragilidade da vida”.

A galeria Marian Goodman representa artistas renomados como William Kentridge e Adrian Villar Rojas. O espaço também é responsável por Tino Sehgal, que segue com uma mostra na Pinacoteca do Estado de São Paulo.