15ª SP-Arte bate recorde nas doações de obras para museus

10 abr 2019, 12h49

Quando os acervos das instituições crescem, a cultura nacional sai fortalecida. Sob esta premissa, a SP-Arte aposta em um programa de doações que, nesta edição, teve participação recorde. Importantes colecionadores e colecionadoras assim como artistas e galerias doaram cerca de setenta obras de destaque para museus brasileiros, quase o triplo de compararmos com o ano passado.

Instituições como o Museu de Arte de São Paulo, o Museu de Arte Moderna de São Paulo e a Pinacoteca do Estado receberam trabalhos para seus acervos. O Museu de Arte do Rio, com o auxílio do curador Paulo Herkenhoff, recebeu número recorde de novas aquisições.

Confira alguns dos trabalhos:

Melvin Edwards

(Alexander Gray Associates)

A obra “Palmares”, 1988, foi doada pelo próprio artista e pela galeria norte-americana para o Masp.

Solange Pessoa

(Mendes Wood DM)

As duas grandes telas Sem título, de 2012, foram doadas pelo Iguatemi para a Pinacoteca.

Sonia Andrade

(Galeria Athena)

O vídeo “A morte do horror”, 1981, que nunca tinha sido mostrado no Brasil, foi doado por Renata di Paula para o acervo da Pinacoteca.

Claudia Andujar

(Vermelho)

Duas importantes fotografias, “A jovem Susi Korihana thëri em um igarapê – Catrimani, Roraima”, da série “A floresta” (1972/1974) e “Maloca rodeada de folhas de batata-doce, Catrimani”, da série “A casa” (1974/1976), foram doadas ao MAM por Renata di Paula. Parte do valor arrecadado com as vendas das obras de Andujar é revertido para a causa da etnia Yanomami.

José Bento

(Galeria Millan)

A escultura “Feijão carioca”, de 2018, foi doada para a Pinacoteca por Cleusa Garfinkel.

Lenora de Barros

(Anita Schwartz Galeria de Arte)

A obra “Poema”, de 1979, doada para o MAM por Ana Eliza Setubal.

Élle de Bernardini

(Verve Galeria)

A obra “DNA”, de 2018, foi doada para o MAR por Marcelo Secaf.

GIOVANI CARAMELLO

(OMA Galeria)

A escultura “Nikutai”, de 2019, foi doada para o MAR pelo grupo Ana Volpe, Leivi Abuleac, Luciana e Michel Farah, Flávia e Rodrigo Terpins.

Letícia Parente

(Galeria Jaqueline Martins)

O vídeo “Eu armário de mim”, de 1975, foi doado por Cleusa Garfinkel ao MAM-SP.

RANDolpho Lamonier

(Periscópio Arte Contemporânea)

Uma obra inédita da série “Profecias”, com a frase “Em 2040, legalizamos o amor e outras drogas menos intensas” foi doada para o acervo da Pinacoteca por Esther e Ricardo Constantino.

Jaime Lauriano

(Galeria Leme/AD)

A instalação “Brinquedo de furar moletom”, de 2018, foi doada por Cleusa Garfinkel para o acervo do MAR. Outra versão do mesmo trabalho foi apresentada no MAC Niterói ano passado.

Elizabeth Jobim

(Lurixs: Arte Contemporânea)

Uma série de pequenas pinturas de Elizabeth Jobim, do ano passado, foram doadas por José Luiz Setúbal para o MAM.

Adrianna Eu

(Luciana Caravello)

O trabalho inédito “As amarras”, foi doado para o MAR por Cleusa Garfinkel.