Balanço
2010


A 4ª edição da SP-Arte/Foto levou ao 9º andar do Iguatemi São Paulo cerca de 7.200 pessoas: um aumento de 20% em relação a 2009. A abertura, no dia 8 de setembro, reuniu cerca de 1.000 convidados, entre artistas, colecionadores, galeristas e amantes da fotografia. No domingo ensolarado, último dia de Feira, cerca de 1.800 pessoas circularam pelos corredores do evento.

Mais de 170 peças foram negociadas entre as 17 galerias participantes, com estimativa de mais de R$ 1,5 milhão em vendas, o que reflete a ascensão e a importância da fotografia dentro do mercado de arte.


programação

Esta edição da SP-Arte/Foto inaugurou um ciclo de palestras gratuito. Foram três encontros, de quinta a sábado, sob a coordenação da pesquisadora e fotógrafa, Denise Gadelha, que abordou o panorama da fotografia contemporânea nacional e internacional, sua história, ícones, vertentes e tendências. Três semanas antes do evento as vagas já haviam sido preenchidas.

Além das palestras, a Feira contou com lançamento e noite de autógrafos de artistas renomados. Na quinta-feira, Cássio Vasconcellos lançou o livro Aéreas; na sexta-feira, Bob Wolfenson apresentou seu novo livro Apreensões; e sábado foi a vez de Boris Kossoy lançar Boris Kossoy – Fotógrafo. Renato Magalhães Gouvêa, da Galeria Arte 57, destacou o grande interesse e conhecimento do público que participou dessa edição. “Acredito que as pessoas estão entendendo mais sobre fotografia. Isso se deve, em parte, a eventos como a SP- Arte/Foto.”


destaques

Galerias como IMS, Luciana Brito, Nara Roesler, Casa Triângulo, Pequena Galeria 18 e Oscar Cruz sentiram nas vendas o interesse crescente do público. A média foi 35% maior em relação ao ano passado.

Galeristas que participaram pela primeira vez da Feira estavam satisfeitos com o resultado. “Para galerias novas como a nossa, sem dúvida a entrada no circuito é fundamental e isso só é possível participando de eventos como a SP-Arte”, ressaltaram os sócios da Zipper Galeria, Melina Valente, Fabio Cimino e Danilo Beltran.

Outra estreante na Feira, a Galeria da Gávea, do Rio de Janeiro, ficou impressionada com o nível dos visitantes. “Na SP-Arte/Foto fiz contatos com pessoas importantes, isso não aconteceu em outros eventos que participei”, comenta Isabel Amado, dona da Galeria, que representa Bruno Veiga, Julio Bittencourt e Ricardo Fasanello, entre outros. O sistema de montagem, operação e conforto também chamaram a atenção da galerista, que vendeu 14 obras.

Durante os cinco dias de Feira, quase a totalidade das obras do artista italiano Massimo Vitali foram vendidas, duas delas já na noite de abertura. As artistas Claudia Jaguaribe e Claudia Melli foram muito apreciadas na Galeria H.A.P que vendeu quase todas as obras expostas das duas fotógrafas. Na FASS, que também trouxe trabalhos vintage de Jean Manzon e Ivan Cardoso, duas edições de Carmem Miranda por Jean Manzon foram vendidas. Na Casa Triângulo, os trabalhos da artista Márcia Xavier foram muito procurados e na Galeria Luciana Brito, as duas edições (em ouro e em níquel) da vídeo-instalação que traz uma gaiola com projeção de passarinhos de Eder Santos quase esgotaram. As obras da artista iugoslava Marina Abramovic apresentadas na mesma galeria também foram também vendidas. No stand de Nara Roesler, a obra de grande escala de Luzia Simons, feita a partir da imagem de flores escaneadas, despertou enorme curiosidade no público.