Museus e galerias do mundo inteiro abrem as portas para artistas plásticos brasileiros

27.10.2017 – 3:18 pm

Alguns dos mais importantes museus e galerias do mundo estão se rendendo à arte brasileira. De Tarsila do Amaral, passando por Hélio Oiticica e chegando ao muralista Eduardo Kobra, nossos artistas estão ganhando cada vez mais espaço no calendário artístico internacional.

Preparamos uma lista com alguns dos principais nomes que estão em cartaz fora do país neste momento. Embarque com a gente!

 

#respirearte


Quem: Jonathas de Andrade, Rubens Mano, Lucas Arruda e Paloma Bosquê

Onde: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra (Portugal)

Quando: 11/11 a 30/12

 

Coimbra vai voltar a receber o Ano Zero, a bienal de arte contemporânea, que teve sua primeira edição em 2015.  Sob o tema Curar e Reparar, a iniciativa leva a Coimbra obras de 18 artistas estrangeiros e de 16 artistas portugueses, sendo que 17 dos trabalhos foram produzidos a convite da bienal. Além dos artistas brasileiros, a Bienal de Coimbra tem Luiza Teixeira de Freitas como curadora assistente. Luiza é a curadora do setor Solo da SP-Arte. 


Quem: Alfredo Volpi

Onde: Gladstone Gallery, em Nova York (EUA)

Quando: até 22 de dezembro

 

A exposição, que ocupa o segundo andar da Gladstone Gallery, em Nova York, é a primeira mostra individual de um dos maiores representantes do modernismo brasileiro.

 

(Imagem: Alfredo Volpi, Elementos geométricos)

 


Quem: Ana Vitória Mussi

Onde: Hammer Museum, em Los Angeles (EUA)

Quando: até 31 de dezembro

 

Radical Women: Latin American Art, 1960-1985, é o nome da exposição que reúne obras de 116 artistas de 15 países latino-americanos. Além da fotógrafa-artista Ana Vitória Mussi, outros grandes nomes brasileiros estão na mostra como Lygia Clark, Claudia Andujar e Teresinha Soares. A partir de abril, a mostra segue para o Brooklin Museum, em Nova York. 

(Imagem: divulgação)

 


Quem: Rosana Paulino

Onde: Museu Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa (Portugal)

A mostra, cujos trabalhos da mesma série a artista expôs pela primeira vez na Galeria Superfície em 2016, investiga o aniquilamento e subjugação das populações negras através da escravidão, tendo a ciência, a religião e a ideia de progresso sido usadas para justificar os mais aterrorizadores abusos.

 

(Imagem: divulgação)


Quem: Mauro Piva

Onde; Galeria Espacio Mínimo. Madri (Espanha)

Quando; 4/11/2017 a 13/1/2018

 

A exposição é composta por um conjunto de trabalhos, quase todos eles feitos em papel, criados especificamente para este projeto. O artista dá continuidade ao seu trabalho de pesquisa com o uso de materiais descartados. Na mostra o público vai conferir obras típicas do processo de trabalho de Mauro Piva e também referências a artistas espanhóis.

 

(Imagem: divulgação)


Quem: Cildo Meireles
Onde: Tate Modern. Londres (Inglaterra)
Quando: Exposição permanente

“Babel” é uma das obras do artista plástico carioca Cildo Meireles que estão expostas na Tate Modern. A torre tem cinco metros de altura e foi construída com 800 aparelhos de rádio, cada um sintonizado em uma estação diferente no menor nível do volume. Cada aparelho usado ali tem um tamanho, formato e época. Eles vão decrescendo de tamanho do chão até o teto.

 

(imagem: “Babel”, de Cildo Meireles)


Quem: Anna Maria Maiolino
Onde: The Museum of Contemporary Art. Los Angeles (EUA)
Quando: 4/8 a 22/1/2018

Esta é a primeira retrospectiva da artista em um museu americano e traz trabalhos produzidos desde o início da década de 1960 até hoje. Os visitantes têm a oportunidade de conhecer parte da história da arte brasileira e os principais movimentos artísticos pós-Guerra.

 

(imagem: Obra de Anna Maria Maiolino, em exposição no The Museum of Contemporary Art, em Los Angeles. Por Brian Forrest)


Quem: Leda Catunda, Lenora de Barros, Tunga, entre outros.
Onde: Phoenix Art Museum. Phoenix (EUA)
Quando: 1/9 a 31/12

A exposição “Past/Future/Present: Contemporary Brazilian Art from the Museum of Modern Art, São Paulo” faz um raro panorama da produção artística brasileira entre as décadas de 1990 e 2010. A coleção traz 70 obras de 59 artistas brasileiros. Alguns dos nomes selecionados: Waltercio Caldas, Carlito Carvalhosa, Leda Catunda, Lenora de Barros, Tunga, Adriana Varejão, Vik Muniz e Beatriz Milhazes.

 

(imagem: “Cheio, vazio”, de José Leonilson. Da Coleção do MAM)


Quem: Tarsila do Amaral
Onde: Art Institute of Chicago. Chicago (EUA)
Quando: 7/10 a 7/01/2018

Organizada em parceria pelo MoMA e pelo Instituto de Artes de Chicago, a mostra é a primeira inteiramente dedicada a Tarsila nos EUA. São 120 peças, incluindo pinturas, desenhos e documentos históricos, que traçam um rico panorama de uma das mais importantes pintoras brasileiras da história.

 

(imagem: “Abaporu”, de Tarsila do Amaral, 1928. Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires—Fundación Constantini)


Quem: Hélio Oiticica, Anna Maria Maiolino, Darcílio Lima e Abraham Palatnik
Onde: The MET Museum. Nova York (EUA)
Quando: 13/8 a 14/1/2018

Tempos delirantes exigem uma arte delirante é o mote da exposição “Delirious. Art at The Limit of Reason” que ocupa o Met Breuer com mais de 100 obras, de 62 diferentes artistas, entre eles os brasileiros Hélio Oiticica, Anna Maria Maiolino, Darcílio Lima e Abraham Palatnik. A mostra traça um cenário da ousadia das obras criadas entre os anos 1950-60.

 

(imagem: “In-Out (Antropofagia)”, de Anna Maria Maiolino. Cortesia de Hauser & Wirth)


Quem: Jonathas de Andrade
Onde: Fundación Jumex. Cidade do México (México)
Quando: 3/10 a 12/11/2017

Na última década, Jonathas de Andrade produziu seus trabalhos voltando o olhar para a construção da identidade nacional brasileira. Utilizando fotografia, vídeo e instalação, o artista faz um retrato contundente do contexto social do Nordeste e sua íntima relação com a colonização do Brasil.

 

(imagem: “Visões do Nordeste”, de Jonathas de Andrade. Cortesia do Museo Jumex)


Quem: Valeska Soares
Onde: Galeria Alexander Gray. Nova York (EUA)
Quando: 1/11 a 15/12/2017

“Neither here nor there” é a primeira exibição individual de Valeska Soares na Alexander Gray, galeria que passou a representar oficialmente a artista nos Estados Unidos. Ao longo de dois andares reservados a pinturas e instalações, Valeska recria momentos íntimos a partir de sensações e lembranças.

 

(imagem: “Any Moment Now”, de Valeska Soares)


Quem: Waldemar Cordeiro
Onde: MoMA. Nova York (EUA)
Quando: 13/11 a 8/4/2018

A obra “Gente Ampli*2”, de Waldemar Cordeiro, foi selecionada para compor a exposição, que destaca como artistas, arquitetos e designers que estavam na vanguarda artística e tecnológica entre 1959 e 1989 utilizaram a computação como meio de expressão. John Cage, Lejaren Hiller, Stan VanDerBeek e Cedric Price também estão na mostra.

 

(imagem: “Thinking Machines: An Evening with Beryl Korot”, de Zabet Patterson e Tamiko Thiel)


Quem: Abraham Palatnik
Onde: Sicardi Gallery, em Houston (EUA)
Quando: 26/10 a 14/12/2017

A arte cinética de Abraham Palatnik é marcada pela fusão entre o movimento, o tempo e a luz e é de grande potencial visual e poético. Palatnik é o precursor desta corrente artística, na qual as fronteiras entre pintura e escultura se confundem e se ampliam.

 

(imagem: Sem título, de Abraham Palatnik))


Quem: Eduardo Kobra
Onde: Mumbai (Índia)
Quando: Permanente

Depois de Rio de Janeiro, Tóquio, Nova York, São Paulo e Dubai, além de inúmeras outras cidades, desta vez Eduardo Kobra inaugura um novo supermural na Índia. A imagem do líder pacifista Mahatma Gandhi em uma estação de trem de Mumbai está em processo de finalização e terá 30 metros de altura por 14 de largura.

 

(imagem: divulgação)


Quem: Marcello Serpa
Onde: ApArt Private Gallery. Nova York
Quando: 6/10 a 5/12/2017

Um dos publicitários mais reconhecidos e premiados do Brasil estreia agora num novo terreno. Depois de se mudar para o Havaí e começar a dividir seu tempo entre as ondas e as telas, Marcello Serpa inaugura sua primeira exposição individual em Nova York. As visitas são feitas mediante agendamento.

 

(imagem: Cartaz da exposição “Terebintina”, de Marcello Serpa)


Quem: Anna Bella Geiger
Onde: La Casa Encendida, Madri, Espanha
Quando: 28/8 a 7/1/2018

Cerca de 100 obras, entre vídeos, fotografias, livros e fotocolagens, compõem a mostra. Dividida entre a geografia física e a geografia humana, a artista reflete sobre o colonialismo, sobre estereótipos culturais e sobre a hegemonia do ponto de vista masculino nos discursos em geral.

 

(imagem: “História do Brasil: Little Girls and Boys”, de Anna Bella Geiger)


Quem: José Leonilson
Onde: Visual Arts at America Society. Nova York (EUA)
Quando: 27/9 a 3/2/2018

 

A morte precoce de José Leonilson no início dos anos 1990, provocada pela Aids, não impediu a continuidade de sua obra. Neste mês, 24 anos após sua morte, a Sociedade Americana de Artes Visuais presta uma homenagem a Leonilson, reunindo cerca de 50 trabalhos da sua maturidade artística.

 

(imagem: “Empty Man”, de José Leonilson. Cortesia de Família Bezerra Dias/Projeto Leonilson)


Quem: Valeska Soares
Onde: Santa Barbara Museum of Art. Santa Bárbara (EUA)
Quando: 17/9 a 31/12

Esta é a primeira exposição da artista na Costa Oeste dos Estados Unidos e reúne 50 obras produzidas da década de 1990 até hoje. A mostra é parte do ambicioso projeto Pacific Standard Time: LA/LA , que conta com a colaboração de mais de 70 instituições culturais do sul da Califórnia para promover a arte latino-americana.

 

(imagem: “Finale”, de Valeska Soares)


Quem: Carmela Gross

Onde: Es Baluard / Museu de Arte Contemporânea de Palma de Mallorca (Espanha)

Quando:10/11 a 1/4/2018

A exposição coletiva Where are we going é parte de uma trilogia que reúne artistas com diferentes linguagens com o intuito de discutir as migrações e a diásporas dos dias atuais. Além de Carmela Gross, o cubano Félix-Gonzalez Torres e o também brasileiro Paulo Nazareth participam da mostra. 


Quem: Marcelo Cidade

Onde: Museu de Arte Contemporânea de Detroit (EUA)

Quando: 8/9 a 8/1/2018

Sonic Rebellion- Music as Resistance reúne cerca de 80 artistas promove uma intersecção entre arte, música e política para falar do legado musical em Detroit.  A mostra faz um paralelo dos protestos do passado e incapacidade para resolver as questões raciais nos EUA ainda hoje.

 

 

(Imagem: Monumento ao Monumento)


Quem: Cinthia Marcelle

Onde: Museu Thyssen-Bornemisza, em Madri (Espanha)

Quando: 7/11 a 28/1/2018

 

Como parte da comemorações de seus 25 anos, o museu espanhol promove a mostra Lección de Arte, convidando o público a refletir sobre o papel educativo dos museus na nossa sociedade.

 

(Imagem: Cinthia Marcelle, Sobre este Mundo, por Matheus Rocha Pitta)

 


Quem: Angela Detanico e Rafael Lain

Onde: Museu de Arte Moderna, Estocolmo (Suécia)

Quando: 21/10 a 21/1/2018

 

Manipulate the World é o nome dessa exposição coletiva, baseada num texto de 1964 escrito por Öyvind Fahlström que na época afirmava que o mundo podia ser manipulado por qualquer pessoa. Trazendo a afirmação para os dias de hoje, a mostra discute como isso pode ser aplicado em um período que presenciamos fatos alternativos, verdades relativas e narrativas fragmentadas.


Quem: Jonathas de Andrade

Onde: Museu de Arte Contemporânea de Chicago (EUA)

Quando: 19/8 a 1º/4/2018

O alagoano Jonathas de Andrade foi um dos artistas escolhidos para participar do projeto We Are Here, que comemora os 50 do museu. Dividida em três etapas com diferentes exposições, a exposição reuniu um grupo de várias etapas e que trabalha com diferentes linguagens com o intuito de rediscutir os pontos de vista dos artistas sob a ótica do período atual.

 


Quem: Carlito Carvalhosa, Arthur Lescher e Marco Maggi

Onde: Galeria Nara Roesler. Nova York (EUA)

Quando: 15/11 a 22/12

 

A coletiva Theory of the Inevitable Convergence tem como motivação evidenciar pontos de contato ainda não explorados entre as poéticas dos três artistas. As obras escolhidas para integrar a exposição carregam importantes questões colocadas recorrentemente ao público pelos artistas, tal como a maneira em que estes articulam suas obras ao espaço, seja pela forma como interferem e atuam nele.

 

(Imagem: Podium, por Marco Maggi)


Quem: Loja Etel

Onde: Milão (Itália)

Quando: a partir de 9/11

 

O design brasileiro está desembarcando em grande estilo em Milão, cidade que é um dos maiores pólos internacionais do design do mundo. A Etel finca sua bandeira pela primeira vez fora do Brasil e inaugura sua loja na charmosa Via Pietro Maroncelli. Para a inauguração, a seleçao de peças inclui criações de Lasar Segall, Oscar Niemeyer, Lina Bo Bardi e Jayme Fonseca Rodrigues.

 

(Imagem: Rio Rocking Chair, por Oscar Niemeyer)