Cinco minutos com galerias internacionais que estreiam na SP-Arte/2015

3 Apr 2015, 4:20 pm

A SP-Arte segue ampliando seus horizontes internacionais em sua 11ª edição. Das 140 galerias que participam da feira em 2015, muitas estrangeiras vêm ao Brasil pela primeira vez e se juntam a espaços nacionais que estreiam na maior e mais importante feira de arte latino-americana.

Neste ano, abrimos espaço em nosso site para que essas galerias estreantes apresentem seus artistas, obras de destaque em seus stands e o que esperam da SP-Arte/2015.

Conversamos com três das estrangeiras: a diretora Emma Robertson fala sobre o projeto da galeria londrina The Approach, que marca presença no setor Geral; o galerista Pedro Cera apresenta o que traz para seu espaço, também no Geral; e Silvia Bonsiepe revela o que a berlinense Klemm’s traz para o setor Showcase.

Confira as respostas:

SP-Arte: Quais artistas você estará apresentando em seu stand?

Emma Robertson: Vamos mostrar uma combinação de artistas do Reino Unido e dos Estados Unidos. Um destaque é a série de trabalhos de Sara VanDerBeek: “Ancient Objects: Still Lives” tem origem nos estudos da artista de artefatos pré-colombianos durante sua participação na 12ª Bienal de Cuenca, no Equador. Uma mistura de formas e imagens colhidas no Equador, em várias cidades da América e em estúdio.

Pedro Cera: Nós faremos uma apresentação solo de pinturas de Antonio Ballester Moreno, em stand dividido com a galeria Maisterravalbuena.

Silvia Bonsiepe: A Klemm’s vai exibir trabalhos do alemão Sven Johne e dos franceses Émilie Pitoiset e Renaud Regnery. Teremos pinturas novas, recém-saídas do estúdio de Regnery, enfocando aspectos da conciliação entre a digitalização em nossas vidas e a eterna demanda por mais sustentabilidade. Também teremos esculturas nunca antes apresentadas de Pitoiset, nas quais ela segue a questinar a projeção de desejos.

 

SP-Arte: Quais as suas expectativas para a SP-Arte/2015?

ER: Estamos empolgados para apresentar o programa da galeria para a cena de arte brasileira e para conhecer colecionadores do Brasil e da América do Sul.

PC: Minha expectativa é de apresentar o trabalho de Antonio Ballester Moreno para o público brasileiro.

SB: Estou ansiosa em descobrir essa nova cena de arte e em conhecer muita gente nova. Ouvimos tantas coisas boas sobre a florescente cena da América do Sul que estou empogada em finalmente ter a chance de apresentar nossa galeria na SP-Arte e de nos envolvermos em um diálogo mútuo.

 

SP-Arte: Você apresentará artistas que não foram expostos no Brasil anteriormente?

ER: Sim, todos os artistas que The Approach apresenta no stand são novos para o Brasil, exceto John Stezaker, que teve uma mostra individual em 2014 na Mendes Wood DM.

PC: Sim, este é o caso de Antonio Ballester Moreno.

SB: Sim, a Klemm’s destaca três artistas que estarão pela primeira vez no Brasil.

 

SP-Arte: De quais outras feiras a galeria participa em 2015?

ER: Participamos da Art Basel, Art Basel Miami, Frieze London, Frieze New York e Fiac.

PC: Art Basel, Art Basel Hong Kong, Artissima e Arco.

SB: Participamos regularmente da Arco Madrid, Art Cologne e Artberlin contemporary, mas também já estivemos na ArtBrussels, NADA, Art Basel Miami e Armory em anos passados.

 

SP-Arte: Já esteve no Brasil antes?

ER: Já visitei antes, mas esta é a primeira vez da galeria e minha equipe está muito afim de descobrir São Paulo e de curtir um pouco de calor!

PC: Sim, já estive no país.

SB: Não, na verdade é minha primeira vez, embora eu tenha parentes no Brasil do lado de meu marido, o que torna minha visita ainda mais empolgante!

 

Confira imagens de trabalhos destas e de outras galerias no Flickr da SP-Arte!

#sparte2015