Em Belo Horizonte, Celma Albuquerque abre individual de Nuno Ramos

24 Jun 2016, 11:15 am

A Celma Albuquerque, em Belo Horizonte (MG), abre em 25 de junho (sábado) uma individual de Nuno Ramos com trabalhos recentes, alguns desenvolvidos especificamente para a mostra.

Cinco obras de grandes dimensões ocupam o espaço. A queda, apresentada pela primeira vez na Pinacoteca do Estado de São Paulo em 2015, e outras duas inéditas são fruto da retomada do uso da vaselina para obtenção das cores, técnica utilizada pelo artista no final da década de 1980. Elas também misturam cera de abelha, pigmentos, tinta a óleo, tecidos, plásticos e metais sobre madeira.

Nos outros dois trabalhos, descritos como relevos, a tinta a óleo convive com chapas e tubos de metal, tecidos e plásticos que extrapolam os limites do suporte. Um desses relevos, intitulado Hagoromo (O manto de penas), tem como referência a peça japonesa homônima do Teatro Nô.

Nuno Ramos segue em cartaz até 30 de julho. Anote o endereço: Rua Antônio de Albuquerque, 885, Savassi, Belo Horizonte (MG). Para mais informações, acesse o site da galeria.