Dê play! Confira (e ouça) os jovens fotógrafos que chacoalham o cenário criativo nacional

19 Aug 2016, 9:51 am



Na edição 2016, a SP-Arte/Foto celebra seus dez anos de existência, período em que esteve atenta à cena nacional da fotografia, consolidando a marca brasileira e espalhando sua assinatura pelo mundo. Neste momento de comemoração vale olhar para frente e refletir: quais são os nomes da próxima década?

Preparamos uma seleção com fotógrafos da nova geração para não perder de vista – profissionais que estão pensando os conflitos sociais do país (Ivan Grilo), seus espaços urbanos (Fabiano Rodrigues), nossa relação com a natureza (Juliana Lewkowicz), intimidade e criação (Laura Gorski e Renata Cruz), a arqueologia profunda da vida privada (Letícia Lampert).

Curiosos para entender o que está por trás do impulso criativo desses artistas, perguntamos a eles o que os leva a fotografar, quais imagens os inspiram e quais músicas fazem parte desse universo particular de criação. Venha descobrir essas mentes vibrantes!

Dê um play antes de ler – criamos uma playlist com as canções sugeridas pelos fotógrafos.



O que o leva a fotografar?

Ivan Grilo

Curiosamente, me utilizo muito pouco do ato fotográfico. Talvez seja mais simples dizer o porquê de não fazê-lo. Minhas pesquisas atuais são muito pautadas em oralidade: na ação de ouvir, reconstruir e recontar imageticamente pequenas histórias, sendo assim, creio que seja mais valioso utilizar o material que já foi produzido e já faz parte das histórias oficiais. Dessa forma, me sinto mais próximo da possibilidade de questionar discursos, deslocando imagens historicamente, e revisitando as camadas já encobertas.”



Fabiano Rodrigues

“Obviamente, o preto e branco, o brutalismo, o concreto, recortes espontâneos encontrados na arquitetura, o contraste entre os tons claros e escuros.”



Juliana Lewkowicz

“Eu fotografo porque eu preciso. Para me sentir viva, para me entender e entender o meu entorno. Porque uma história pode ser contada de várias formas por diversos pontos de vista, e aí que está a magia da fotografia. O que me leva a fotografar é a paixão e a vontade de descobrir qual o melhor ângulo para exprimir meu ponto de vista nesta história.”



Laura Gorski e Renata Cruz

Uma importante fonte de inspiração para nós na construção das imagens fotográficas são as imagens literárias presentes, por exemplo, nos contos de Virginia Woolf. A fotografia nos possibilita a construção de um mundo ficcional a partir de espaços ou objetos domésticos com os quais nos relacionamos diariamente. Temos a intenção de falar da ambiguidade desses lugares que podem ser ambientes sociais e ao mesmo tempo de recolhimento, intimidade e criação, dentro dos quais nos colocamos como autoras e personagens das cenas criada.”



Letícia Lampert

Fotografo para tentar entender o que está a minha volta, para buscar outras formas de ver as mesmas coisas, para seguir me surpreendendo com o que é tido como banal. Acho que fotografar ensina a gente a ver melhor.”