A Galeria Jaqueline Martins recebe a coletiva “Tudo que é sólido desmancha no ar” a partir desta terça-feira (01).

Com curadoria de Bernardo de Souza, a mostra apresenta os trabalhos de quatro artistas representadas pela galeria paulistana. O ponto de partida é a obra de Letícia Parente (1930-1991), pioneira em registrar performances e criar vídeos políticos de arte no Brasil, ainda nos anos 1970, e a relação que ela estabelece com a produção de três nomes contemporâneos: Debora Bolsoni, Ana Mazzei e Lais Myrrha.

A partir dessa justaposição de práticas artísticas diversas e distantes no tempo, a exposição evidencia o conjunto de transformações culturais na sociedade brasileira nos anos que se seguiram a maio de 1968, especialmente aquelas que dizem respeito ao papel da mulher e sua condição política.

 

Cristiano Lenhardt no projeto Glory Hole

Também a partir de 1º de abril, a segunda ocupação do projeto “Glory Hole”, da Galeria Jaqueline Martins, fica a cargo do artista Cristiano Lenhardt, vencedor do prêmio Illy Sustain Art na SP-Arte/2014.

Nesta instalação, Lenhardt apresenta o vídeo “Meu Mundo Jegue”, que faz parte de sua pesquisa mais recente, além de alguns trabalhos impressos. No vídeo, ele coloca como uma espécie de statement sobretudo o amor. Ruas sem asfalto, árvores e mais árvores ao ponto de voltar a ser do mato.

“Tudo que é sólido desmancha no ar”Cristiano Lenhardt ficam em cartaz até 16 de maio de 2015. Anote o endereço da Jaqueline Martins: Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 74, Pinheiros. Mais informações no site.

(com informações da Revista Bamboo)

SP‑Arte Profile

Subscribe and stay in touch with the main events in the world of art