Flávio Damm

Brasil, 1928


Sobre

Um dos grandes nomes do fotojornalismo brasileiro, Flávio Damm integrou, de 1949 a 1959, a equipe da revista O Cruzeiro, realizando, ao longo desse período, reportagens históricas ao redor do mundo. Suas fotografias davam conta de retratar um grande escopo de assuntos e situações, que iam desde os modos de vida de comunidades isoladas no interior de um Brasil ainda pouco conhecido, até a coroação da Rainha Elizabeth II na Inglaterra. Em 1962 fundou, junto a José Medeiros e Yedo Mendonça, uma das primeiras agências de fotografia do país, a “Image". Damm, no entanto, nunca saía para trabalhar sem a sua Leica, câmera que lhe permitia explorar a linguagem fotográfica para além dos preceitos jornalísticos, produzindo, assim, um grande acervo de imagens que buscam extrair das cenas urbanas a poesia de seu caráter trivial. Fiel à fotografia analógica em preto e branco, sem cortes nem cenas orquestradas, Flávio Damm já publicou imagens em livros de Jorge Amado e Gilberto Freyre e hoje segue, munido de sua Leica pelas ruas do mundo, à procura de instantes decisivos.

Coleções que possuem seus trabalhos: Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro; Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro; Instituto para a Fotografia, Zurique, Suíça; Instituto Itaú Cultural, São Paulo; Coleção Pirelli/MASP, São Paulo; Memorial JK, Brasília; Fundação Gilberto Freyre, Recife; Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro; Casa França-Brasil, Rio de Janeiro; Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo; Centro Português de Fotografia, Porto, Portugal; Museu del Baile Flamenco, Sevilha, Espanha.

Fonte: Galeria Marcelo Guarnieri


Galeria



Exposições