A SP-Arte termina a sua nona edição com um grande sucesso de público – pelo menos 22 mil pessoas visitaram a Feira, que contou com a presença de 122 galerias, 81 nacionais e 41 estrangeiras – sendo 14 delas as mais prestigiosas do mundo segundo a revista ArtReview. O público pôde ver cerca de 3.500 obras, entre elas produções de artistas consagrados como Picasso, Alberto Giacometti, Gerhard Richter, Rothko, Alexander Calder e Chagall. A Feira, que colocou definitivamente o Brasil no cenário mundial das artes, também trouxe novidades no âmbito nacional, como o da galeria Paulo Kuczynski que mostrou a tela Moça com chapéu, de Di Cavalcanti, com dedicatória a Rubem Braga. Outros artistas brasileiros, como Volpi, Amilcar de Castro e Mira Schendel também puderam ser apreciados.

Além de ter o maior número de galerias, artistas e obras, esta edição contou com uma programação intensa dentro e fora do Pavilhão da Bienal. Considerada entre as cinco mais importantes do mundo na sua categoria, a Feira impulsionou mais de 60 atividades paralelas, que abarcaram desde performances e diálogos, entrega de prêmios, lançamentos de livros e um Laboratório Curatorial, até visitas a exposições, ateliês e coleções particulares, aberturas de exposições, brunches, jantares e festas. Este ano a SP-Arte reforçou ainda mais o seu objetivo de estimular a arte em todos os seus aspectos: mercado, criação artística, gestão e formação.


galerias

Este ano, a Feira foi realizada entre os dias 3 e 7 de abril, no Pavilhão da Bienal, onde milhares de obras de arte foram distribuídas em três pisos que somaram cerca de 17 mil m² de área de exposição.

Estiveram no evento, por exemplo, galerias de prestígio internacional como: Gagosian (EUA, Reino Unido, França, Itália, Grécia, Suíça e Hong Kong), Lisson (Reino Unido, Itália e EUA), Pace (Reino Unido, EUA, China), White Cube (Reino Unido, Hong Kong e Brasil), David Zwirner (EUA e Reino Unido), Thaddaeus Ropac (Áustria e Paris), Hauser & Wirth (Suíça, Reino Unido e EUA), Sprüth Magers (Alemanha e Reino Unido), Continua (Itália, França e China), neugerriemschneider (Alemanha), Elvira González (Espanha), Franco Noero (Itália) e Lia Rumma (Itália).

Entre as galerias brasileiras se destacam: DAN, Fortes Vilaça, A Gentil Carioca, Luisa Strina, Luciana Brito, Mendes Wood, Millan, Nara Roesler, Paulo Kuzcysnki, Vermelho, entre tantas outras. Esses espaços traçam um panorama da produção artística brasileira e internacional.

“A nona edição da SP-Arte reuniu um conjunto excepcionalmente representativo de galerias, o que permitiu oferecer aos visitantes uma oportunidade única de conferir o mais amplo panorama da arte contemporânea mundial já exposto em uma feira do país” afirma Fernanda Feitosa, idealizadora e diretora da SP-Arte. Fernanda Feitosa reforça ainda que o crescimento da Feira é resultado de um trabalho gradativo que também consolida o Brasil no mapa mundial das grandes feiras: “A vocação natural da Feira de ampliar a visibilidade do mercado de arte de forma altamente profissional certamente contribui significativamente para esse cenário e para a formação de novas gerações de colecionadores”, afirma ela. “O interesse do brasileiro por esse mercado vem se intensificando cada vez mais ao longo das edições anteriores de SP-Arte e, paralelamente, tem havido um reconhecimento de artistas brasileiros em todo o mundo. Galerias, museus e colecionadores estão investindo em nosso país e em nossa produção artística.”


convidados especiais

Entre as personalidades institucionais, no dia da inauguração a Feira contou com a presença do Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e da primeira dama, Maria Lúcia Guimarães, e também do Vice Primeiro Ministro belga e ministro de relações internacionais da Bélgica, Didier Reyders, acompanhado por uma comitiva de 12 pessoas. A Ministra da Cultura Marta Suplicy também veio conhecer de perto as novidades desta edição da SP-Arte no domingo e durante a visita foi acompanhada pela diretora, Fernanda Feitosa.

SP-Arte também foi marcada pela presença de grandes personalidades do circuito mundial durante os cinco dias da Feira. Na lista das celebridades estão a modelo internacional Kate Moss e a atriz Sharon Stone. Ambas visitaram as grandes galerias estrangeiras, mas também se interessaram pela produção artística do nosso país.

A lista de personalidades estrangeiras do mundo das artes presentes na Feira, também foi extensa. Entre eles estiveram Igor Ramírez García Peralta, responsável pela área de projetos especiais do Thyssen-Bornemisza Art Contemporary, Jimena Blázquez Abascal, curadora e diretora da Fundación Montenmedio Arte Contemporáneo (MNAC) de Madrid; Jesús Fuenmayor, diretor e curador da Cisneros Fontanals Art Foundation (Estados Unidos); Sarah McCrory, diretora do Glasgow International Festival of Visual e curadora da galeria Art/Monteverdi Collection (Escócia); Vincent Honoré, curador da David Roberts Art Foundation da Inglaterra; Maria Inés Rodríguez, curadora do MUAC, Museu de Arte Contemporânea do México; Jens Hoffmann, curador da Bienal de Istambul de 2011 e diretor do Jewish Museum (NY).

Também se somaram à lista Connie Butler, curadora chefe do departamento de Desenho do MoMA (NY), Tanya Barson, curadora de arte latino americana da Tate, e Heike Munder, do Switzerland Migros Museum für Gegenwartskunst.


Parcerias

Com o objetivo de integrar o circuito paulista das artes durante o evento, a SP-Arte/2013 ampliou o programa de parcerias com museus e instituições. O visitante desta edição que adquiriu um ingresso para o MAM-SP, MIS, Pinacoteca, MAC-USP, Sesc, CCSP e Itaú Cultural, na semana anterior ao evento, recebeu um convite para visitar a Feira nos dias 6 ou 7 de abril. “As parcerias renderam ótimos frutos para todos os envolvidos na parceria e, por conta disso resolvemos não apenas manter, mas ampliar o programa este ano”, afirma Fernanda Feitosa.


Laboratório Curatorial

Em sua segunda edição, o Laboratório Curatorial, braço educacional da SP-Arte, idealizado e coordenado por Adriano Pedrosa, convidou jovens curadores a submeterem projetos de exposições para uma seção especial na Feira, tomando como base o acervo de obras de artistas representados pelas galerias participantes e referências independentes dos próprios curadores. Os projetos aprovados são trabalhos dos curadores Fernando Oliva – paulista, crítico e docente na FAAP e doutorando em Crítica e História da Arte –; Mariana Lorenzi Azevedo – curadora independente, graduada em Comunicação Social e Mestre em Arts Politics –; da colombiana Monica Espinel – graduada em Psicologia e Mestre em História da Arte, que atualmente vive em São Paulo –; e Tomás Toledo – filósofo e coordenador de projetos da Escola São Paulo.

“A êxito do projeto e a absoluta aprovação dos participantes e do público nos fez manter o formato do Laboratório da edição passada. O projeto reforça a descoberta e o incentivo a novos profissionais que estudam e atuam diretamente com o mercado de artes plásticas”, diz Fernanda.


Livros de artista

Os livros de artista tiveram um espaço destacado na SP-Arte. A exposição Bacanas Books, do artista e colecionador Fabio Morais, composta por livros e publicações de artista, além de edições raras e múltiplas, apresentou o universo dos livros de artista ao público visitante da Feira.

Estimulando o colecionismo, a Feira também trouxe ao público editoras produtoras destes livros, que transitam entre o mercado editorial e artístico. Neste ano, as novidades foram a editora brasileira Parêntesis e as estrangeiras La Silueta e Kitschic, além da Cosac Naify e Tijuana, que estiveram presentes na oitava edição do evento.


Lançamentos

Diversas publicações no campo das artes foram lançadas, no Pavilhão da Bienal, durante a SP-Arte. Algumas acompanhadas de coquetel, outras de diálogos com autores e artistas, os lançamentos chamaram a atenção do público. O livro Sobre São Paulo, por exemplo, de Cláudia Jaguaribe, esgotou no próprio lançamento.

Veja a lista completa de lançamentos na SP-Arte/2013:

Libro & Casa, da editora Kitschic

Sobre São Paulo, de Cláudia Jaguaribe

Norte, de Marcelo Moscheta

Atacama 1234567, de Hamish Fulton

Arte contemporânea Brasil, organizada pela francesa Catherine Petitgas

Entre ser um e ser mil – o objeto e suas poéticas, organizado pela artista Edith Derdyk

Menos Valia [Leilão], da artista Rosângela Rennó

Daisy Xavier último azul, de Paulo Sergio Duarte & Luisa Duarte

Presença de arte, de Paulo Venâncio Filho