Coletiva na Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea reflete sobre efeitos da ação humana na paisagem

12.05.2017 – 10:25 am

A Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea inaugura no dia 13 de maio (sábado) a exposição Topografias Intermitentes. Com curadoria de Thais Gouveia, a coletiva traz uma seleção de artistas brasileiros e argentinos que dialogam sobre os efeitos da ação humana na paisagem.

Resultado de uma residência artística que Gouveia fez em Buenos Aires em 2016, como parte do Prêmio C.LAB Mercosul, a reunião de 15 obras aponta para reflexões sobre ecologia, sociedade e política.

Em pinturas, instalações, esculturas e fotografias, os nove artistas refletem sobre o gênero da paisagem na contemporaneidade – marcada por numerosos desastres ambientais, extinções em massa, crises econômicas, guerras, migrações e fechamento de fronteiras. “Quando os meios de comunicação e ciberespaço se tornam os principais instrumentos de relacionamento humano com o mundo, o que se instala é uma ausência ilusória de limites e uma grande distância entre a realidade material finita, gerando desorientação e negação da própria vida e seus estágios naturais de início, meio e fim”, coloca a curadora, que se baseia em livros como A cultura-mundo: resposta a uma sociedade desorientada, de Gilles Lipovetsky e Jean Serroy, para conceber a exposição.

A lista completa de artistas presentes tem Beto Shwafaty, Carolina Zancolli, Marcelo Moscheta, Mariana Sissia, Renata de Bonis, Renata Padovan, Samuel Lasso, Santiago Porter e Sol Pochat.

Topografias Intermitentes fica em cartaz até 1º de julho. Anote o endereço: Rua Chabad, 61, Jardim Paulista. Mais informações no site da galeria.